quinta-feira, abril 20, 2006

5 X 5

Lembra daquele princípio da “Ação e Reação” que tanto ouvimos falar? Nesse pequeno levantamento histórico sobre os Cinco Pontos do Calvinismo podemos, mais uma vez, constatar sua aparição!

O surgimento dos cinco pontos calvinistas ocorre em resposta a ensinos dos discípulos de Jacob Hermann (1560 a 1609) – conhecido nas nossas conversas Arminius, versão latina de seu nome. Esses ensinos foram formulados alguns anos após a morte de Jacob e conhecidos como Os cinco pontos do Arminianismo.

Os seguidores dessas idéias protestaram por meio de documentos cuidadosamente formulados contra a Fé Reformada junto ao Parlamento Holandês, que após 154 sessões, considerou os Cinco Pontos do Arminianismo contrários aos ensinos das Escrituras e os declarou heréticos.

Alem disso, o Conselho de Dort, resolveu como resposta a esses ensinos heréticos, formulara o que conhecemos hoje como Os Cinco Pontos do Calvinismo. Vale lembrar que foram intitulados assim, em honra ao Teólogo João Calvino.

OS CINCO PONTOS DO ARMINIANISMO:

1. Vontade Livre
2. Eleição Condicional
3. Expiação Universal
4. A Graça Pode Ser Impedida
5. O Homem Pode Cair da Graça

Breve explanação de suas idéias:

- Vontade Livre

O primeiro ponto do arminianismo defende que o homem é dotado de vontade livre.

Arminius entendia que a queda* do homem não foi total e que há ainda bem suficiente que possibilita a aceitação de Cristo como Salvador.

* Queda é o que entendemos como o ato de desobediência do primeiro representante da raça humana – Adão – no Éden, trazendo a herança que todo homem hoje possui em seu ser, o pecado.


- Eleição Condicional

A eleição está baseada no pré-conhecimento de Deus em relação à pessoa que deve crer. Deus escolheu os Seus porque sabia que eles O escolheriam. Aqui, mais uma vez, o homem toma a ação primária.


- Expiação Universal

Levando em conta que Deus ama a todos, que Cristo morreu por todos e outros trechos da Escritura, Arminius entendia que:

A morte de Cristo é a base para Deus salvar a todos os homens, levando em conta, porém que cada homem exerça sua livre vontade para aceitar a Jesus.


- A Graça Pode Ser Impedida

O arminiano também crê que Deus envia o seu Espírito Santo para atrair a todos os homens a Jesus, ressaltando que o homem, usufruindo do principio que o homem possui sua vontade livre, ele pode resistir a Deus nessa ação.

A ordem é assim: Primeiro o homem exerce sua vontade e somente após esta ação, há o que chamamos de Novo nascimento*.

Mesmo considerando Deus Onipotente, o pensamento arminiano defende que a vontade de Deus em salvar o homem pode ser impedida, frustrada pela vontade finita do homem.

* Aqueles que deixam de viver por sua própria vontade e passam a ter a vida submissa à vontade de Deus. Passam a viver uma nova vida em Jesus Cristo.

- O Homem Pode Cair da Graça

Como ponto final, o arminiano entende que por conseqüência dos pensamentos anteriores, é possível que o homem desista da salvação, pois pode escolher ou não ser salvo.

Texto baseado no livro: Tulip, Os Cinco Pontos do Calvinismo à Luz das Escrituras, de Duane Edward Spencer – Editora Parakletos

quarta-feira, abril 12, 2006

Prévia

Desde o ultimo post, estamos preparando alguns textos sobre os 5 pontos do calvinismo e para minha surpresa e espero também, a de vocês, temos mais informações do que imaginávamos – mais um exemplo que sempre há o que se aprender. A intenção era escrever logo sobre a Depravação Total, mas ao ler alguns artigos e livros, percebi que no decorrer da historia da igreja temos constantes divergências de posicionamento naquilo que diz respeito à localização, ou o papel do homem na criação, relação com Deus e principalmente sobre a salvação – ou seria o papel de Deus na história? – típica diferença de enfoque – Deus X Homem, ao meu ver.
Bem, vamos tratar isso com paciência. A seguir, passarei algumas informações que consegui estudando nesses dias e algumas dicas de leitura:

QUEM É REFORMADO?

Inicialmente o termo “reformado” era usado para calvinistas, luteranos e zwinglianos. Após as controvérsias, os luteranos já não faziam mais parte do grupo e por fim, os zwinglianos também não, deixando o termo diretamente ligado aos calvinistas.

Característica importante da visão calvinista é o cuidado pela Escritura Sagrada. Tê-la como Palavra de Deus, inspirada e infalível e única regra de fé e pratica.

PELAGIANISMO

Pelagianismo é uma heresia antiga que “sustenta basicamente que todo homem nasce moralmente neutro, e que é capaz, por si mesmo, sem qualquer influencia externa, converter-se a Deus e obedecer à sua vontade, quando assim o deseje.” –

Debate surgido no século V entre Pelágio e Agostinho sobre a concepção e extensão do pecado original. Se ele havia atingido somente a Adão ou a todo gênero humano.
Agostinho defendia que o pecado original de Adão foi herdado por toda a humanidade – universal – e que escravizou a humanidade ao pecado.
Já Pelágio acreditava que a queda de Adão afetara somente a ele e em outro momento, que a graça de Deus era desnecessária para a salvação, embora facilitasse a obediência.

Agostinho teve êxito em sua luta contra Pelágio mas durante a história o pelagianismo sempre acaba surgindo disfarçadamente na vida da igreja Cristã. Lutero, por exemplo, lutou contra esse tipo de idéias ao escrever “A escravidão da Vontade” – resposta a Erasmo, defensor dos pensamentos de Pelágio.
Finalmente chegamos ao séc. XVIII e ao Arminianismo, que será o “start” para que os reformadores criem os 5 pontos calvinistas.

Leia:
“PNEUMATOLOGIA REFORMADA, DE VERDADE!
DEFINIÇÕES E DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS”


Esse pequeno estudo do Rev. Augustus Nicodemus é muito interessante e já se aprofunda sobre outras vertentes, como o papel do Espírito Santo na vida humana, graça comum, graça especial, pluralismo, pragmatismo e neopentecostalismo.

quarta-feira, abril 05, 2006

Fundamentos




Já há alguns meses venho pensando bastante sobre a postura cristã reformada frente a algumas concepções, posicionamentos que saltam aos olhos pelas leituras de blogs, sites, comunidades na internet e conversas com amigos.
É do conhecimento de todos o aumento do número de evangélicos na sociedade brasileira, (interessante para ler:
“O que aconteceu com os evangélicos?” ) e da explosão que algumas denominações alcançaram na tv, rádio, e mídia em geral.

O fato que me incomoda, e que até estudamos na igreja, é sobre a postura que nós, ditos reformados temos frente a tudo que nos é imposto ou como conversei com um irmão, tudo que é "moda". Perceba que o questionamento não é frente à sociedade, estou falando sobre nós dentro deste ambiente que acompanhamos e ouvimos crescer dia a dia. (temos amigos e conhecidos).
É fato que há uma mistura geral de conceitos errôneos de interpretação da Bíblia (caso contrário não existiriam tantas placas) e que se não estivermos atentos podemos cair na “teia do vale tudo”, “Deus olha o coração”, entre outras coisas.

A ignorância é um abismo, conduzindo ao erro e ao engano. Na luta dos reformadores sempre nos é destacado a alteração de postura frente a sociedade no que se aponta ao questionamento e à busca profunda dos fundamentos da fé, da vontade de Deus. (sabemos que não se limita a isso mas parte daí).

Hoje é difícil encontrar pessoas que entendam profundamente ou que tenham interesse em conhecer mais destes pontos que são essenciais para nossa conduta, mesmo nas igrejas mais conservadoras (elas parecem sofrer com o bombardeio pentecostal muitas vezes).

Portanto antes de qualquer outro post, trataremos sobre aquilo que cremos e que deve reger e dar um background , o pano de fundo para todas as outras áreas de nossa vida. Os fundamentos dos reformados.
A Palavra de Deus, a situação humana e o que as concepções sobre a Verdade alteram(ou deveriam alterar) nossa vida:

5 Pontos:

. Depravação Total
. Eleição Incondicional
. Expiação Limitada
. Graça Irresistível
. Perseverança dos Santos

Mais uma vez caminhando para crescimento no aprendizado e assim em todas as outras áreas da vida.
Soli Deo Gloria

sábado, abril 01, 2006

Qual é o significado da páscoa hoje?


Há duas semanas perguntei a um adolescente qual era o significado da páscoa e para minha surpresa e indignação, ele me deu a seguinte resposta. “Páscoa é comer chocolate, ganhar ovos, minha mãe compra ovos para mim, para meus irmãos e para todos os meus primos, meu irmão mais novo até acredita em coelhinho...” Amados imaginem a minha cara, diante aquela resposta! Será que nunca ninguém falou para aquele adolescente qual é o verdadeiro significado da páscoa? Ele nem imaginava que o foco da páscoa é Cristo, e não o coelhinho. Quantos adolescentes não há como ele? Talvez até mesmo dentro de nossas igrejas.

Existem coisas que precisam ser recordadas constantemente para que não se esqueçam da sua importância e significado. É lamentável o significado que o mundo tem dado para páscoa, pois somos bombardeados com os comerciais de ovos de chocolate e coelhinhos, na TV, no rádio, em Outdoor’s espalhados por toda a cidade, supermercados, etc...Contudo não vemos nem ouvimos, algum meio de comunicação falando de Cristo, da Cruz ou ressurreição. Temos até que refletir, que ênfase nossas igrejas têm dado a páscoa. Muitas vezes nem mesmo nos cristãos que conhecemos a verdade, temos proclamado qual é o seu genuíno significado. Talvez seja necessário refrescar a memória do “mundo” e dos “crentes” de qual é seu verdadeiro significado, para que eles possam saber porque, e o que celebram.

Páscoa é a comemoração do dia do livramento, quando o Senhor feriu todos os primogênitos do Egito, mas livrou aqueles que tinham o sangue do cordeiro aplicado no batente de suas portas (Ex. 12:12). O Senhor passou por aquelas casas sem ferir de morte os primogênitos ali, pois o sangue do cordeiro sem mácula estava justificando aqueles primogênitos. Além de serem livres da morte dos seus primogênitos, também foram libertos, com aquela ação do Senhor, da escravidão na terra do Egito (Ex. 12:31-33). Esse dia deveria ser um memorial a ser comemorado perpetuamente disse o Senhor (Ex.12:14).

Após a vinda de Cristo o significado da páscoa em nossos dias deve ser:

O cordeiro imolado para libertação do povo representa Cristo que foi morto por nossos pecados para nos livrar da escravidão do pecado e da morte. Deveria ser um cordeiro sem nenhum defeito (2 Co. 5:21 , 1 Pe. 1:19-20). O cordeiro deveria morrer para que os homens pudessem viver (Is. 53).

João quando viu Jesus se aproximando disse: "eis o Cordeiro de que tira o pecado do mundo" (Jo. 1:29). De acordo com o que acabamos de ver, Páscoa é a comemoração do livramento da morte e da escravidão.

Nós que já fomos libertados do poder do pecado sabemos que isso somente foi possível através do sacrifício de Cristo na cruz, por isso, sua morte e ressurreição devem ser uma realidade em nossas vidas, pois se não for, de que adianta a celebração dessa data.