segunda-feira, novembro 05, 2007

Salmo 19


Salmo 19

1 Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.

2 Um dia discursa a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite.

3 Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som;

4 no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo. Aí, pôs uma tenda para o sol,

5 o qual, como noivo que sai dos seus aposentos, se regozija como herói, a percorrer o seu caminho.

6 Principia numa extremidade dos céus, e até à outra vai o seu percurso; e nada refoge ao seu calor.

7 A lei do SENHOR é perfeita e restaura a alma; o testemunho do SENHOR é fiel e dá sabedoria aos símplices.

8 Os preceitos do SENHOR são retos e alegram o coração; o mandamento do SENHOR é puro e ilumina os olhos.

9 O temor do SENHOR é límpido e permanece para sempre; os juízos do SENHOR são verdadeiros e todos igualmente, justos.

10 São mais desejáveis do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o mel e o destilar dos favos.

11 Além disso, por eles se admoesta o teu servo; em os guardar, há grande recompensa.

12 Quem há que possa discernir as próprias faltas? Absolve-me das que me são ocultas.

13 Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão.

14 As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!



Posso dizer que o Salmo 19 é um dos meus favoritos, pois através dele o salmista, mostra como Deus se revela na criação do universo, e a evidência de sua existência é visível a todos, tanto justo como injustos.

Além dos perfeitos adjetivos que são usados por Davi para descrever a palavra de Deus como: Perfeita, Fiel, Reta, Pura, Lípida, Eterna, Verdadeira, Justa, Desejável e Doce.

E sua ação sobre nós, para: restaurar a alma, dar sabedoria aos símplices, alegrar o coração, iluminar os olhos.

Davi neste salmo mostra a importância que a orientação divina teve em sua vida, pois diz " Deus usa a sua palavra para admoestar o seu servo". "da recompensa " pois guardar a palavra de Deus traz grande recompensa (V.11).

No final, Davi termina pedindo ao Senhor, absolvição pelos seus pecados ocultos e proteção da soberba para não ser culpado diante de Deus e por fim ele pede que Deus, que é sua rocha e redentor, que aceite as suas palavras e os pensamentos de seu coração.

Que possamos orar como Davi:


"As palavras dos meus lábios e o meditar do meu coração sejam agradáveis na tua presença, SENHOR, rocha minha e redentor meu!"


Tiago Gonçalves

Um comentário:

marcos disse...

lindo esse salmo